Portal de Eventos Científicos do PPGMUS-UFBA, 2º CONGRESSO BRASILEIRO DE ICONOGRAFIA MUSICAL

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

Anjos anunciadores dos tetos em perspectiva: uma abordagem iconográfica

Mônica Farias Menezes Vicente

Última alteração: 2018-07-29

Resumo


Símbolo do invisível e das forças que sobem e descem entre a origem e a manifestação (CIRLOT, 1984, p.84), intermediários entre Deus (Céu) e os Homens (Terra), os anjos possuem papel importante na iconografia sacra: o da representação de mensageiros. Estão presentes na iconografia artística desde tempos remotos, quando se estabelece a importância da cultura e da arte como propaganda litúrgica. Suas denominações estão associadas às suas funções e não à sua personalidade, com isso podem ser conhecidos simbolicamente por três hierarquias. Posicionados em papéis secundários em uma obra pictórica, ora se tornam importantes pela leitura que lhe é dada, e neste percurso ‘voam’ literariamente por novos espaços, ora retomam ao seu lugar original. A presença dos anjos anunciadores nas pinturas de tetos não é diferente do seu papel em análise individual, mas possuem uma função importante que sem eles a leitura da cenografia faltaria um ‘acorde’. De trombeta em punho portam o anúncio de chegada e/ou festejo de um momento significativo. O objetivo desta comunicação é apresentar a função destes anjos anunciadores em seu aspecto de conjunto a partir da leitura iconográfica que estão presentes nestas pinturas, assim como elencar suas aparições nas respectivas produções pictóricas presentes nos tetos das naves das igrejas que possuem pinturas de falsa arquitetura.

 

Palavras-chave: Anjos Anunciadores; Mensagem cristã; Tetos em Perspectiva; Iconografia; Pintura na Bahia.


Texto completo: PDF