Portal de Eventos Científicos do PPGMUS-UFBA, 3º CONGRESSO BRASILEIRO DE ICONOGRAFIA MUSICAL

Tamanho da fonte:  Menor  Médio  Maior

A mensagem sonora e iconográfica presente na Anunciação de Fra Angelico e algumas resignificações presentes em Salvador

Mônica Farias Menezes Vicente

Última alteração: 2015-10-31

Resumo


A primeira referência quando se pensa em Música está na relação desta com os instrumentos, no entanto, em campo vasto da sua abordagem, discutir sobre o som vocal também pode aproximar possibilidades de entender que através da voz há uma variação do repertório ao qual esta pode transformar e resignificar o som em mensagens. Quando ao sexto mês, o anjo Gabriel, o enviado de Deus visita, na cidade de Nazaré, uma virgem, então casada com um varão de nome José, sonoramente lhe diz: “SPIRITUS SANCTUS SUPERVENIET IN TE; ET VIRTUS ALTISSIMI OBUMBRABIT TIBI” (Lc 1:26-28) – era o momento em que este ecoava à Virgem Maria o anúncio da chegada daquele que seria o Salvador, sendo ela a escolhida. Ao responder “ECCE ANCILLA DOMINI FIAT MIHI SECUNDUM VERBUM TUUM (LC 1:38), a Virgem dialoga sonoramente naquele momento com o visitante em uma linguagem que apenas eles reconhecem e compreendem. O que para a pintura sacra esta cena poderia apenas ser uma representação compositiva e figurativa, alguns artistas tratam deste momento com uma atenção especial, sobretudo no que se refere ao diálogo entre os dois (Anjo e Virgem); há uma espécie de cântico particular a duas vozes, mentais e espirituais. A presença da voz nesta cena como elemento sonoro e narrativo se constitui como a primeira representação iconográfica cristã do que estará por vir, e é o objeto desta comunicação. Tomar-se-á como referência basilar para tal leitura e indicativa, a obra de Fra Angelico, pintada entre 1433-1434, iconografia que repetiu ao longo dos séculos e que foi resignificada, porém não ‘desonorizada’ nas Anunciações presentes em algumas igrejas de Salvador.


Texto completo: PDF